terça-feira, 23 de setembro de 2008

tem mais!

do flick de samya, flores e desejo


tem que ter...
porque desejo não é uma coisa simples..
a gente tem medo,
se assusta,
surpreende
é surpreendido
"tem que controlar" - pura bobagem...
a gente tem muito medo de se entregar aos próprios desejos
eu também tenho
me entregar a um desejo pode significar abrir mão de outro afinal, nesta vida não podemos ter tudo, né?
me entregar a um desejo pode mudar a noção de tempo, 15 minutos podem parecer quase 1hora.
Eu estou telúrica, enraizada mas estou leve..
hoje meu desejo foi bem acariciado, bem tratado, bem sussurrado, bem aninhado...
foi dançado
celebrado
gargalhado
foi lindo!
também foi profundo, cúmplice, revelador

li um comentário no livro "conversas com almodóvar", de frederic strauss que dizia o seguinte:

"com o passar do tempo, a sexualidade deixou de ser o principal vetor do
desejo e dos sentimentos em seus filmes"


acho que sexo ainda é um vetor do desejo e dos meus sentimento. Sem desejo não sou ninguém ou sou: amarga, séria.. sei lá.. sou chata!


preciso do desejo na minha vida
preciso que ele se aflore como sexo, que jorre como sensualidade, que esteja na minha intimidade
preciso de cumplicidade pra me sentir à vontade pra expôr o que, para mim, é um tesouro.
Não sou filha de Oxum à toa...


mas todo desejo encontra um freio
talvez ele seja necessário mas eu não quero freios! há tão pouco que descobri como é bom estar por inteiro em qualquer parte!
é bom estar na companhia de alguém cheiroso, vigoroso, bem yang
mas não posso abrir mão da doçura, da pele macia, da leveza que existe no yin

preciso de um e de outro... do yin e do yang é equilíbrio, né?
e falando em equilíbrio, que saudade... sinto uma saudade imensa do meu amigo que busca equilíbrio.. sinto uma saudade imensa da amiga que só anda em desequilíbrio... faz falta... mas sinto em meu coração que não é momento pra procurar nehum, nem outro...


a vida tá pra outro ritmo
e falando em ritmo, hoje eu dancei! Gilberto Gil...
Bom, "dançar" é modo de falar... mas, pro meu universo, eu dancei.
e queria dançar mais!
e queria dançar de novo...
mas fatores alheios a minha vontade frearam este desejo.
Viu? já tem freios demais nesta vida pra quê vou colocar mais um?



-----

agora sim, o assunto está temporariamente esgotado!




2 comentários:

Fator disse...

Bom, "dançar" é modo de falar...

o seu falar(escrever) está me parecendo um modo de dançar !!!
tem rítmo, suingue até melodia, parece q ouço !

à propósito: aquela frase é minha mesmo !

Bruna disse...

Olá!
Sou Bruna da Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor.
Almodóvar conta histórias próximas ao que ele já vivenciou. Em Conversas com Almodóvar, Strauss identifica uma mudança na maneira como o diretor aborda a sexualidade, um de seus temas mais caros.
Abraços!